Aperte o PLAY e ouça a Rádio Antena Love

SC tem 4 cidades certificadas em lista internacional de destinos tursticos sustentveis


Ranking busca destacar destinos com histrias inovadoras e boas prticas de gesto dos locais como exemplos inspiradores. Praia da Conceio, em Bombinhas, no Litoral Norte catarinense Setur Bombinhas/Arquivo/Divulgao Santa Catarina destaque na lista dos 100 principais destinos tursticos sustentveis da fundao internacional Green Destinations, com sede na Holanda. As cidades de Forquilhinha e Orleans, no Sul; Bombinhas, no Litoral Norte; e It, no Oeste, esto citadas na premiao, que tem oito municpios do Brasil certificados. As informaes foram divulgadas em 5 de outubro pela entidade. O ranking busca destacar destinos com histrias inovadoras e eficazes de turismo sustentvel, alm das boas prticas de gesto dos locais como exemplos inspiradores. Segundo o governo, as cidades catarinenses escolhidas encontraram solues sustentveis para questes coletivas (leia mais abaixo). Ao contar as histrias, os municpios de podem ser conhecidos e reconhecidos pelas solues que implementaram em resposta aos desafios e problemas que enfrentaram. Alm das quatro cidades catarinenses, no Brasil, Canguu (RS), So Miguel do Gostoso, Tibau e Tibau Do Sul (RN) esto na lista. LEIA TAMBM: SC tem 12 das 22 praias brasileiras com selo internacional Bandeira Azul; veja lista Dia da rvore: Projeto cataloga Imbuias gigantes, espcie smbolo de SC em risco de extino O que cada destino de SC realizou para obter os certificados Bombinhas Com 20.889 habitantes segundo a projeo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE), Bombinhas idealizou e criou um curso de formao sobre a cidade para a comunidade e empresas para receber melhor turistas e visitantes. Os contedos foram divididos em tpicos como hospitalidade, sustentabilidade, histria e cultura. O treinamento, gratuito e aberto ao pblico, ficou conhecido como Descobrindo Bombinhas e tem sido ministrado desde 2013, sendo aplicado por turismlogos, que realizam tour guiado pela cidade. Forquilhinha Cidade de Forquilhinha, no Sul catarinense Prefeitura de Forquilhinha/ Divulgao Os moradores e funcionrios pblicos do municpio realizaram, de forma voluntria, a limpeza da cidade. Esta ao passou a ser divulgada e alcanou grande repercusso. A cidade do Sul catarinense tem 27.621, segundo o IBGE. Orleans Cidade de Orleans, no Vale do Itaja Prefeitura de Orleans/ Divulgao Diante da preocupao da possibilidade de retorno da minerao de carvo no municpio, foi criado o Movimento Orleans Viva - Guardies da Montanha (MOV). Um dos objetivos do projeto foi incentivar e apoiar o ecoturismo, o turismo rural e a agricultura familiar sustentvel. Segundo o instituto de geografia, a cidade tem 23.161 moradores. It Cidade de It, no Oeste catarinense Prefeitura de It/Divulgao Com o objetivo de resgatar e fortalecer a cultura e a tradio dos jangadeiros, pescadores artesanais, o municpio tem realizado aes de impacto na sociedade para manter viva a tradio. O Museu do Balseiro e as reunies anuais que acontecem com jangadeiros e familiares servem como exemplo disso. Na cidade tambm h um restaurante chamado Flsen Haus que tem pratos tpicos preparados em jangadas, como nos tempos dos balseiros. A cidade possui 6.091 habitantes. VDEOS: Veja as reportagens mais assistidas da NSC TV no G1 SC Veja mais notcias do estado no G1 SC

Leia Mais

Trabalhador de 30 anos morre aps levar choque em poste de Brusque


Bombeiros chegaram a ser chamados, mas Paulo Rodrigo Lamberti Batista morreu ainda no local. Paulo Rodrigo Lamberti Batista estava trabalhando no local quando sofreu a descarga eltrica Corpo de Bombeiros/Divulgao Um homem de 30 anos morreu aps sofrer uma descarga eltrica enquanto trabalhava na manuteno de uma rede de fibra ptica em um poste de Brusque, no Vale do Itaja, na quinta-feira (14). Os bombeiros chegaram a ser chamados, mas Paulo Rodrigo Lamberti Batista morreu no local. O acidente ocorreu por volta das 11h30. Segundo informaes dos bombeiros militares, no poste tambm passa a fiao eltrica de alta tenso. Uma equipe das Centrais Eltricas de Santa Catarina (Celesc) esteve no local para auxiliar no desligamento da rede. Os socorristas isolaram a rea at a chegada do Instituto Geral de Percias (IGP), que recolheu o corpo. Em nota, a empresa Unetvale, onde Batista trabalhava, lamentou a morte do funcionrio. Por respeito famlia, na quinta e nesta sexta-feira a empresa est trabalhando de portas fechadas, sem atendimento presencial. Nesse momento de dor e tristeza, a Unetvale em nome de sua diretoria, corpo tcnico e todos os seus funcionrios, lamenta profundamente o ocorrido, bem como agradece por todos os servios prestados, disse a empresa em comunicado. Homem morre aps levar choque em poste de Brusque VDEOS mais assistidos do g1 SC nos ltimos dias Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais

VDEO: Paredes de banheiro desabam dentro de casa em Cricima


Imagem foi registrada pelos moradores e compartilhada pela Defesa Civil municipal nas redes sociais. No houve feridos. Banheiro desaba dentro de casa na hora do almoo em Cricima A estrutura de um banheiro desabou nesta quarta-feira (13) em Cricima, no Sul catarinense. Segundo a Defesa Civil, o cmodo no possua sustentao suficiente e afundou certa de 1,4 metro dentro da casa. No houve vtimas (veja vdeo acima). De acordo com o diretor da coordenadoria municipal do rgo Alfredo Anselmo Gomes, as instalaes da casa feita de madeira no aguentou as paredes que foram feitas com estrutura de tijolos. A casa era alugada, ento, orientamos os moradores e o dono do imvel a fazer o conserto. Foi um susto, mas possvel reerguer o banheiro sem comprometer a estrutura da casa, afirma Gomes. Estrutura do banheiro colapsou em Cricima (SC) Defesa Civil/Reproduo A ocorrncia, segundo o agente, ocorreu por volta de meio-dia no bairro Operria Nova. O vdeo gravado pelos moradores, que estavam no local da hora do desabamento, foi compartilhado nas redes sociais da Defesa Civil. Estruturas que no so projetadas como devem ser, tm risco total de ruir, informou o rgo. A residncia no foi interditada, mas houve recomendao de que os moradores sassem do local. Segundo a Defesa Civil, caso as obras para reformar o local no sejam iniciadas nos prximos dias poder ocorrer a interdio da residncia. VDEOS: Mais assistidos do g1 SC nos ltimos dias Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais

Mulher e criana se afogam em praia de Balnerio Cambori e so resgatados por banhistas; VDEO


Vtima de 40 anos precisou ser entubada, de acordo com socorristas. Caso ocorreu na Praia do Estaleirinho. Helicptero da PM durante atendimento a vtima afogada em Balnerio Cambori Uma mulher de 40 anos e um garoto de 13 anos precisaram ser levados ao hospital aps se afogarem na Praia do Estaleirinho, em Balnerio Cambori, no Litoral Norte. O caso ocorreu na tarde desta quinta-feira (14). Os socorristas acreditam que eles tenham cado do costo, j que estavam com roupas de passeio, e no com roupas de banho. A mulher precisou ser entubada e est em estado grave, segundo informaes da prefeitura de 17h22 desta quinta. O garoto teve alta na noite desta quinta. A prefeitura afirmou que o jovem no filho da mulher que se afogou. Resgate Os bombeiros foram chamados por volta de 13h10 para socorrer duas pessoas que estavam se afogando. Quando eles chegaram ao local, a mulher e o menino j estavam na areia, pois haviam sido resgatados por banhistas. LEIA TAMBM: Canoa vira, 3 caem na gua e criana de 9 anos nica sobrevivente Tubares aparecem pela 2 vez em Balnerio Cambori Veja 5 pontos sobre rea liberada para banhistas na megaobra de Balnerio Cambori Pelas primeiras informaes do Batalho de Aviao da Polcia Militar de Balnerio Cambori, que tambm foi acionado, as vtimas no sabiam nadar e se afogaram. A mulher teve afogamento de grau 4 e estava inconsciente quando os socorristas chegaram. Durante o atendimento, ela teve uma melhora no quadro e acordou. Ela foi estabilizada e levada ao pronto-socorro do Hospital Ruth Cardoso, em Balnerio Cambori, pelo helicptero da PM. Movimentao na Praia do Estaleirinho, em Balnerio Cambori, aps mulher e menino se afogarem Reproduo/Eduardo Joo Steil Conforme os socorristas, ela estava em um grau de agitao muito alto e, por isso, precisou ser entubada. A mulher natural de Tubaro, no Sul do estado. Os socorristas no souberam informar se ela a criana so parentes. O menino foi levado ao Pronto Atendimento da Barra Sul, tambm em Balnerio Cambori, pelos bombeiros. Ele teve afogamento de grau 1. A prefeitura informou s 17h09 desta quinta que ele passa bem, mas segue em observao na unidade. At esse horrio, no havia informaes sobre o estado de sade da mulher. VDEOS: mais assistidos do g1 SC nos ltimos 7 dias Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais

Homem que matou jovem atropelada em Itaja aps assdio denunciado por feminicdio


Jovem de 18 anos morreu aps ter sido atropelada na noite de domingo (10). MP denuncia homem que confessou ter atropela jovem de 18 anos em Itaja O homem de 35 anos preso por matar Vanessa Machowski, de 18, ao atropel-la aps assedi-la em Itaja, no Litoral Norte catarinense, foi denunciado por homicdio qualificado pelo Ministrio Pblico de Santa Catarina (MPSC) nesta quinta-feira (14). As qualificadoras so feminicdio, motivo torpe e impossibilidade de defesa da vtima. Ele tambm foi denunciado por embriaguez ao volante. O g1 tentou entrar em contato com o advogado de Juciano Marinho Gomes por duas vezes nesta quinta, sem sucesso, e aguardava manifestao da defesa at 18h15 desta quinta. O agora denunciado est preso preventivamente. Vanessa Machowski Reproduo/Redes sociais O Poder Judicirio informou s 18h13 desta quinta que a denncia analisada e, at esse horrio, no havia deciso se ela ser aceita. LEIA TAMBM: Entenda o caso do homem que matou jovem atropelada aps assedi-la Vamos pedir justia, diz me de jovem atropelada Homem que matou jovem atropelada tem priso preventiva decretada Jovem morta tinha sonho de abrir o prprio salo de esttica, diz tia O crime ocorreu no domingo (10). O sepultamento da vtima ocorreu na manh de tera-feira (12), no Cemitrio da Fazenda, em Itaja, segundo o namorado da vtima, Thiago Linhares da Veiga. Ele, porm, no quis se manifestar publicamente sobre a morte da companheira. Vanessa Machowski Reproduo/Redes sociais O crime Vanessa estava com o namorado, de 21 anos, no bairro Cordeiros por volta das 21h20. Ele disse Polcia Militar que ambos conversavam, ele dentro da cabine de um caminho estacionado e ela do lado de fora, quando uma caminhonete Tucson parou ao lado da jovem. O motorista de 35 anos a assediou verbalmente. O namorado, ento, desceu do caminho para ver o que estava ocorrendo. O motorista da Tucson tambm saiu do carro. Segundo o namorado da vtima, ele estava com fortes sinais de embriaguez. Carro Tucson, usada por homem que foi preso em flagrante em Itaja Polcia Militar/Divulgao Houve uma discusso e o motorista da Tucson voltou para o veculo e saiu do local. Depois de cerca de 5 minutos, porm, ele voltou e jogou o carro em cima da jovem. Ela foi esmagada contra o caminho e o autor do atropelamento fugiu em alta velocidade. A jovem recebeu os primeiros socorros no local e depois foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Cordeiros pelo Corpo de Bombeiros Militar, mas no resistiu. Os socorristas encontraram a vtima inconsciente. Conforme os bombeiros, ela teve politraumatismo e suspeita de hemorragia interna. Buscas por motorista A Polcia Militar foi chamada e fez buscas. Os agentes encontraram o motorista da Tucson deitado na rua com alguns cortes no rosto. O carro foi encontrado em uma via em frente casa dele. O veculo estava amassado, indicando que houve a batida. Segundo a PM, o motorista confirmou que jogou o carro na direo da jovem. Como ele estava ferido, ele foi levado para a UPA do bairro Cordeiros. O carro Tucson foi guinchado. VDEOS: mais assistidos do g1 SC nos ltimos 7 dias Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais

Morre adolescente que teve queimaduras durante incndio supostamente causado por carregador de celular em SC


Incialmente, exploso em carregador de celular foi apontado como causa do incndio, mas produto inflamvel foi o fato mais relevante para o incio do fogo. Caso aconteceu em Blumenau, no Vale do Itaja, no sbado (2) Corpo de Bombeiros/Divulgao O adolescente que sofreu queimaduras durante um incndio em um lava-jato em Blumenau, no Vale do Itaja, morreu nesta quinta-feira (14). Ele estava internado em um hospital especializado para pacientes queimados em Joinville, no Norte do estado. O acidente ocorreu em 2 de outubro. Inicialmente, achou-se que a exploso de um carregador de celular teria sido a causa do incndio. Porm, de acordo com a percia inicial do Corpo de Bombeiros Militar, o manuseio de produto para aplicao de brilho em pneus, pela vtima, foi o fato mais relevante para o incio do fogo. LEIA TAMBM: Carregador de celular no foi causa de incndio, aponta percia Adolescente sofre queimaduras graves em Blumenau A vtima recebeu os primeiros atendimentos no Hospital Santo Antnio, em Blumenau, e, na ltima tera-feira (12), foi transferido para a unidade de queimados em Joinville. Segundo pessoas que trabalhavam com ele, o garoto teve uma infeco que provocou a morte. O caso ocorreu em um lava-jato onde o jovem trabalhava. Aps o incndio, ele teve queimaduras de primeiro, segundo e terceiro graus e foi levado ao Hospital Santo Antnio. Percia inicial A percia no local foi feita dois dias depois do incndio pelo Corpo de Bombeiros Militar. O relatrio final deve sair em at um ms. Pelas primeiras informaes, o adolescente manuseou o produto para aplicao de brilho em pneus, conhecido popularmente como pretinho, que altamente inflamvel. Antes do incndio, a vtima teria derramado parte do lquido em cima da mesa onde estava trabalhando. Alm disso, na superfcie tambm havia um embalagem de 5 litros do produto. Chamas se espalharam pelo local aps exploso, segundo bombeiros Corpo de Bombeiros de Blumenau/Divulgao O carregador foi plugado em uma extenso sobre a mesma mesa. A hiptese inicial dos bombeiros que, ao colocar o dispositivo na tomada da extenso, houve uma fasca, que provocou a ignio pelos gases em suspenso do produto derramado na mesa. Em seguida, ocorreram chamas onde o lquido estava e elas chegaram at a embalagem com 5 litros, o que provocou o incndio que atingiu o adolescente. Parte da estrutura de madeira foi atingida pelo fogo Corpo de Bombeiros/Divulgao A percia inicial verificou que o celular e o carregador no tinham sinais de exploso. O incndio ocorreu pela manh. De acordo com os bombeiros, outra funcionria do lava-jato ajudou a apagar o fogo. VDEOS mais assistidos do g1 SC nos ltimos dias Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais

SC suspende vacinao contra Covid de adolescentes em algumas cidades por falta de doses


Cricima enfrenta a situao h 9 dias. Veja como fica calendrio de imunizao nos principais municpios nesta sexta (15). Vacinao de adolescentes contra Covid suspensa em algumas cidades de SC A vacinao contra Covid-19 em adolescentes foi suspensa em algumas cidades catarinenses por falta de doses. A situao ocorre em municpios do Sul, Vale do Itaja e na capital. Secretaria de Estado da Sade afirma que, assim que receber novas doses, vai encaminhar para as cidades conclurem a vacinao dos adolescentes. Cricima, no Sul do estado, enfrenta a falta de doses para esse pblico h nove dias. A ltima remessa de doses da Pfizer chegou dia 24 de setembro. A fabricante a nica cujo imunizante foi autorizado pela Agncia de Vigilncia Sanitria (Anvisa) para ser aplicado em adolescentes entre 12 e 17 anos no Brasil. Vacinao contra a Covid-19 em Cricima Prefeitura de Cricima/Divulgao Depois disso, o municpio recebeu outra remessa, mas somente para reforo do pblico idoso e pra segundas doses. Cerca de 9 mil adolescentes j foram imunizados em Cricima. Faltam 7 mil. Em Florianpolis, a situao a mesma, sem vacinao para adolescentes. O foco, por enquanto, a aplicao de segunda dose e dose de reforo. Blumenau, no Vale do Itaja, tambm est aguardando uma outra remessa para disponibilizar novas vagas para adolescentes. O estoque de doses de reforo para idosos tambm acabou. A Diretoria de Vigilncia Epidemiolgica afirmou que, na semana passada, o Ministrio da Sade informou que vai enviar novos lotes de vacina assim que a etapa de reforo nos idosos e trabalhadores de sade terminar. Por enquanto, no h prazo pra isso acontecer. Vacinao nesta sexta-feira (15) Confira como fica a imunizao contra a Covid-19 nas principais cidades de Santa Catarina nesta sexta. Florianpolis Florianpolis aplica segunda dose para quem est no prazo. Dose de reforo para idosos de 60 anos ou mais que tomara h mais de seis meses a vacina, profissionais da sade que tomaram a segunda dose at 1 de abril e adultos com alto grau de imunossupresso com 28 dias de intervalo. Vacina contra Covid-19 em Florianpolis: veja quem pode ser vacinado hoje e o que fazer Joinville Joinville vacina com primeira dose todas as pessoas a partir de 12 anos. A segunda dose para quem agendou. Dose de reforo para idosos acima de 60 anos, com seis meses de intervalo entre a segunda dose, e imunossuprimidos com 28 dias de intervalo. Blumenau Blumenau aplica a primeira dose em pessoas a partir de 18 anos, e segunda dose para quem est no prazo. Dose de reforo para trabalhadores da sade. Itaja Itaja vacina com primeira dose todas as pessoas a partir de 12 anos. A segunda dose para quem agendou. Dose de reforo pra profissionais de sade e para idosos acima de 60 anos, com seis meses de intervalo entre a segunda dose, e imunossuprimidos com 28 dias de intervalo. Cricima Cricima aplica a primeira dose em pessoas a partir de 18 anos, e segunda dose para quem est no prazo. A dose de reforo pra profissionais da sade, para idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos. Chapec Chapec aplica segunda dose para agendados. VDEOS: Vacinao contra a Covid-19 em SC Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais

Alta procura por cirurgia de readequao de sexo na rede particular de SC expe demanda reprimida no SUS, diz especialista


Enquanto que clnica particular realizou 500 cirurgias, o Sistema nico de Sade (SUS) encaminhou apenas 72 pessoas no mesmo perodo. Cirurgia no hospital em Blumenau, no Vale do Itaja. Alex Ferrer/Divulgao Entre 2015 e setembro de 2021, o Sistema nico de Sade (SES) encaminhou 72 pessoas para fazer a cirurgia de readequao de sexo fora do estado, uma vez que Santa Catarina no possui centro de referncia conveniado para o procedimento. Neste mesmo perodo, uma clnica particular em Blumenau, no Vale do Itaja, fez seis vezes mais cirurgias e alcanou a marca de 500 intervenes. Para o pesquisador e professor do Ncleo de Estudos em Gnero e Sade do departamento de Sade Pblica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Rodrigo Moretti, a diferena dos nmeros mostra que o estado est em descompasso com a necessidade desta populao. O alto nmero da rede particular indica que h demanda, que h pessoas que procuram e que precisam da cirurgia. Isso mostra que o SUS no est atendendo estas pessoas. H uma demanda reprimida muito grande na rede pblica. O baixo nmero de encaminhamentos para a rede pblica em SC indica que h um problema de identificao e para dar seguimento aos casos. Ele tambm significa que h poucas vagas disponveis no SUS, afirma Rodrigo. Clnica particular de SC chega a 500 cirurgias de readequao de sexo Para a coordenadora geral da Associao em Defesa dos Direitos Humanos (Adeh), Lirous Kyo Fonseca vila, os nmeros catarinenses mostram que para a rede pblica a questo transexualizadora no vista como algo urgente. As unidades particulares andam abraando muito mais as causa trans do que as pblicas. H uma dificuldade muito grande em volta deste tema [por parte da rede pblica de sade]. Vejo que h uma busca por especializao por parte destes profissionais da rede privada em temas como a mudana de sexo, prtese e mastectomia. Vrios profissionais esto se especializando nestas especificidades, pontua Lirous Kyo Fonseca vila. Tanto para o pesquisador quanto para a coordenadora geral da Adeh, Santa Catarina deveria prestar o servio de cirurgia de readequao de sexo para a populao. No Sul do pas apenas um hospital de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, est habilitado pelo Ministrio da Sade para realizar o procedimento. Nem todas as pessoas trans tm condies financeiras para custear isso no servio privado. Nossa referncia Porto Alegre e l a demanda muito alta. So poucas vagas destinadas para o Brasil inteiro e isso mostra como a populao no atendida ou observada pelo SUS neste processo transsexualizador, afirma Rodrigo. Gmeas trans de 19 anos fazem cirurgia de readequao de sexo em SC Nunca tive rejeio familiar, diz gmea trans que passou por cirurgia de readequao de sexo em SC Gmea trans que passou por cirurgia de readequao de sexo em SC fala sobre o futuro: Mal comecei minha luta Paciente 500 da clnica particular de SC Angel Souer veio de Atlanta para realizar o procedimento cirrgico em SC Angel Souer/Arquivo Pessoal Angel Souer foi a paciente nmero 500 a realizar o procedimento na clnica particular em Blumenau. O local tambm foi escolhido pelas irms gmeas Sofia e Mayla no comeo do ano, e referncia no procedimento no Brasil. Natural do interior de So Paulo, Angel mora h mais de cinco anos em Atlanta, no Estado Unidos. No ano passado ela veio a Blumenau para realizar a cirurgia de feminizao facial e corporal. E no final do ms de setembro, voltou para realizar a cirurgia de readequao de sexo. Angel retornou para o pas norte americano nesta segunda-feira (11) e vai realizar o acompanhamento ps-operatrio pela internet. Esse momento para mim marca uma virada de pgina. Eu sempre me via em um corpo errado. Ento, isso faltava para mim, para colocar um ponto final nesta histria. Pronto, essa sou eu e como eu me vejo, como eu sempre me vi, comemora. Aos 39 anos Angel realizou a cirurgia de readequao de sexo em SC Angel Souer/Arquivo Pessoal Angel relata que no conhece ningum que tenha realizado o procedimento pela rede pblica. Mas que sempre ouviu comentrios sobre a demora e a burocracia. No optei pelo sistema pblico um pouco por falta de informao e recomendaes. No se fala muito sobre isso, conta. Ela tambm conta que o investimento no procedimento particular foi planejado durante um ano. No s a questo financeira que entra nesta equao. O valor alto o que a gente paga a vida toda, tendo que passar pelas dores e os preconceitos durante 39 anos. Quando eu paro para pensar nisso eu vejo que o valor da cirurgia meio relativo. Tem que ter uma segurana de que voc conhece o mdico, sabe onde vai ficar, que vai ter um respaldo e um cuidado ps-cirurgia. Porque no uma cirurgia fcil, no uma recuperao fcil. O prazo de at dois anos para que a cicatrizao fique perfeita, concluiu. Paciente foi a 500 pessoa a realizar o procedimento na clnica no Vale do Itaja Angel Souer/Arquivo Pessoal Fila de espera pelo SUS a portaria n 2.836 de dezembro de 2011, que instituiu a Poltica Nacional de Sade Integral de Lsbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, que trata sobre o direito da cirurgia de readequao de sexo e o uso de hormnios. Para realizar a cirurgia de readequao de sexo pelo SUS, o acesso inicial via Unidade Bsica de Sade (UBS). Aps esse primeiro contato, funo da rede estadual direcionar essa pessoa para um dos centros de referncia habilitados pelo Ministrio da Sade que realizam o procedimento. Quantidade de pacientes encaminhados de Santa Catarina para fora do estado para a realizao de cirurgias de transio de gnero SES/Reproduo No Brasil, cinco hospitais prestam esse servio de acompanhamento para a populao. Nenhum deles fica em Santa Catarina. Quem deseja realizar o procedimento precisa ir para Porto Alegre, So Paulo, Rio do Janeiro, Pernambuco ou Gois. Uma mulher trans consultada pela reportagem do g1, que no quis se identificar, informou que chegou a iniciar o processo pela rede pblica em Santa Catarina. O acompanhamento ocorreu em Curitiba, no Paran, e a cirurgia aconteceria em Porto Alegre, no Rio Grande de Sul. Contudo, ela desistiu do procedimento em razo da demora. Ela afirmou que no havia como saber quantas pessoas estavam na sua frente. A entrevistada informou que vai juntar o dinheiro para realizar a cirurgia na rede particular. A gente precisa que a sade seja para todos, seja especfica e de fcil acesso, frisou Lirous Kyo Fonseca vila. Transgnero a pessoa que se identifica com o gnero oposto ao qual ela nasceu. No h relao com orientao sexual. Alexandre Mauro / G1 Segundo o pesquisador Rodrigo Moretti a fila de espera longa, com relatos de pessoas que aguardam por mais de cinco anos para iniciar o processo. Cada um dos centros realiza no mximo duas cirurgias como essas por ms. Ento, isso d uma mdia de 10 procedimentos por ms e isso muito aqum da necessidade. uma situao precria, disse Rodrigo. Legislao Conforme mostra o vdeo abaixo, novas regras para a cirurgia de transio de gnero foram aprovadas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em 2020. A resoluo amplia o acesso cirurgia e tambm ao atendimento bsico para transgneros. A norma reduziu de 18 para 16 anos a idade mnima para o incio de terapias hormonais e define regras para o uso de medicamentos para o bloqueio da puberdade. Procedimentos cirrgicos envolvendo transio de gnero esto proibidos para quem ainda no completou 18 anos. Antes era preciso esperar at os 21 anos. Conselho Federal de Medicina publica novas regras dos procedimentos de transio de gnero Cirurgia ltimo recurso procurado Para o pesquisador Rodrigo Moretti, a busca de pessoas transexuais interessadas em fazer a cirurgia de readequao de sexo diminuiu nos ltimo anos. Isso, porque, antes do decreto n 8.727 de abril de 2016, que trata sobre o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gnero de pessoas travestis ou transexuais, a cirurgia era obrigatria para que a pessoa pudesse modificar seus documentos. A cirurgia o ltimo recurso, muitas vezes a populao necessita s da modificao das caractersticas secundrias, que o uso de hormnio as vezes d conta, sem a necessidade de alterao genital, afirmou Rodrigo Moretti. VDEOS: Mais assistidos do g1 SC nos ltimos dias e Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais

Bombeiro voluntrio vence a Covid e carrega cruz por 6 quilmetros para pagar promessa em SC


Morador de Rodeio no tinha comorbidades mas ficou duas semanas internado e perdeu 14 quilos. Bombeiro voluntrio subiu morro de Rodeio (SC) carregando uma cruz para pagar promessa Airton Souza/Reproduo Um bombeiro voluntrio de Rodeio, no Vale do Itaja, prometeu que se vencesse a Covid-19 pagaria uma promessa. Rafael Motta, 38 anos, no tinha comorbidades, mas ficou duas semanas internado por conta de complicaes causadas pela doena. Nesse perodo ele perdeu 14 quilos. Na tera-feira (12), dia de Nossa Senhora Aparecida, ele subiu um morro de cerca de seis quilmetros carregando uma cruz. Eu sabia que se continuasse daquele jeito poderia prejudicar outros rgos do corpo. Prometi que se sasse sem sequelas faria uma penitncia. No s pela cura, mas como forma de agradecer todos que rezaram por mim relembra o bombeiro. Rafael afirma que recebeu a primeira dose da vacina e dias antes da segunda aplicao, em maio, testou positivo para o vrus junto com a esposa. Com febre e a falta de ar, ele foi encaminhado ao Hospital Oase de Timb, na mesma regio, dois dias aps a confirmao da doena. No leito hospitalar, ele fez a promessa. Devoto de Nossa Senhora Aparecida, o bombeiro decidiu que para tornar o sacrifcio maior, iria carregar a cruz que usada em encenaes do Teatro Paixo de Cristo. A alta mdica aconteceu no mesmo ms. Sem sequelas, Rafael voltou ao trabalho como tcnico de segurana do trabalho e ao voluntariado como bombeiro. Cinco meses depois da promessa feita e da alta hospitalar, o bombeiros comeou sua peregrinao. O bombeiro voluntrio saiu por volta das 6h e chegou ao topo do morro, que leva igreja de Nossa Senhora Aparecida, em Rodeio, por volta das 8h. No local, participou da missa. SC tem 6,2 mil pessoas em tratamento contra Covid-19 VDEOS: Mais assistidos do g1 SC nos ltimos dias Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais

Moradores reclamam de entulhos aps demolies de imveis engolidos por avano das dunas em SC


Estruturas de casas e restaurante comearam a ser destrudas partir de 20 de agosto na regio Norte de Florianpolis, na praia que fica no bairro Ingleses. Entulhos ficaram perto da faixa de areia na praia dos Ingleses, em Florianpolis Gabriel Lemos/ Arquivo Pessoal Moradores da regio Norte de Florianpolis reclamam da falta de remoo dos entulhos prximo da faixa de areia da praia que fica no bairro Ingleses aps a demolio de imveis que estavam sendo engolidos com o avano das dunas. As estruturas comearam a ser destrudas partir de 20 de agosto. A demolio foi feita pela prefeitura depois que a Defesa Civil condenou duas casas e interditou um restaurante que estavam instalados na rea. Quando o trabalho foi feito, a prefeitura informou que a retirada dos escombros demoraria cerca de 15 dias. Em nota na quinta-feira (14), o rgo informou que a greve dos trabalhadores da Autarquia de Melhoramentos da Capital (Comcap) atrasou a retomada do servio. A paralisao ocorreu durante uma semana e terminou em 28 de setembro. A Defesa Civil informou que reprograma a retomada dos trabalhos com a Secretaria de Infraestrutura. A prefeitura, no entanto, no informou uma data para concluir o servio (leia a ntegra da nota mais abaixo). Procurado, o Ministrio Pblico Federal (MPF) informou que instaurou um inqurito sobre o avano das dunas. O rgo tambm solicitou informaes Fundao Municipal do Meio Ambiente (Floram) sobre as providncias adotadas. Na investigao, foi anexado tambm um abaixo-assinado em que os moradores da servido onde as demolies ocorreram pediam ao MPF a continuidade dos trabalhos de demolio no local. Segundo Gabriel Lemos, morador do bairro, com a trabalho ainda no finalizado no local o caminho que d acesso para a praia foi fechado pelas dunas. Alm disso, os entulhos que esto no local oferecem perigo para quem circula na areia. No estamos s com o problema da demolio, a gente est com um problema social ali, porque o acesso de pedestres est bloqueado, consequentemente, as pessoas passam por onde foi feito a demolio, s que ali est cheio de vidro, ferro, entulho, disse. Dunas do bairro Ingleses, em Florianpolis Gabriel Lemos/ Arquivo pessoal LEIA TAMBM: Casas so condenadas e restaurante interditado pela Defesa Civil ENTENDA o avano das dunas na regio de Ingleses Engolidos pela areia: prefeitura analisa aes O que causa o avano das dunas? De acordo com o gelogo e professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Joo Carlos Rocha Gr, o avano das dunas um processo natural que se iniciou h 2 mil anos por causa de dois fatores: a existncia de um banco de areia e o vento forte que transporta os gros. Em entrevista ao g1 em julho, o especialista explicou que o banco de areia est localizado na Praia do Moambique, a cerca de 10 quilmetros da Praia dos Ingleses, local onde os problemas so registrados. Quando a mar baixa e o sol seca a areia, o vento se encarrega de lev-la para a terra. O vento Sul se encarrega de transportar, vagarosamente ao Norte, em Ingleses, afirmou o professor. Qualquer vento leva gros de areia. O que vai determinar onde haver mais acmulo a intensidade do fenmeno, segundo ele. O vento Sul, apesar de ser menos frequente, sempre venta com mais fora. Por isso, o transporte final para o [sentido] Norte [em relao a Moambique], disse Gr. Como esto no caminho do percurso natural dos gros de areia, a tendncia natural haver soterramento das edificaes construdas ali, explicou Gr. Defesa Civil de Florianpolis interditou duas casas aps avano das dunas Defesa Civil/ Reproduo Casa engolida por dunas no bairro Ingleses, em Florianpolis Defesa Civil/ Divulgao Casa condenada aps avano das dunas no bairro Ingleses, em Florianpolis Defesa Civil/ Divulgao Mquina comea demolio de imveis atingidos por avano das dunas em Florianpolis O que disse a Defesa Civil Quando a operao iria retornar, aps a primeira paralisao, ocorreu a greve da Comcap, e toda a estrutura que estava programada para retomar a remoo do material, foi de forma emergencial, direcionada para a coleta de lixo. Por Exemplo a secretaria de Infraestrutura e a prpria Comcap que estava dando suporte. Neste momento, estamos reprogramando a operao juntamente com a Infraestrutura, SMDU e Secretaria Municipal do Meio Ambiente, com uma estrutura especfica para remoo, visando no haver novas paralisaes e terminar definitivamente a remoo do material. importante destacar que a Defesa Civil de Florianpolis um rgo coordenatrio, e utiliza as estruturas das secretarias envolvidas diretamente na operao, como escavadeiras, caminhes, profissionais, entre outros. O que diz o MPF O MPF instaurou o inqurito civil n 1.33.000.001671/2021-24, que trata do avano das dunas sobre residncias na servido Fermino Manoel Zeferino, no canto sul do bairro dos Ingleses. Foram requisitadas informaes Floram e Secretaria Municipal do Meio Ambiente sobre os eventos noticiados e as providncias adotadas, bem como sobre a localizao das casas, especificamente se esto sobrepostas a terrenos de marinha e faixa de praia. Foi tambm juntado ao inqurito um abaixo-assinado dos moradores da referida servido, solicitando ao MPF a garantia da continuidade dos trabalhos da Prefeitura de Florianpolis em relao demolio das construes ameaadas de desmoronamento. VDEOS mais assistidos do g1 SC nos ltimos dias Veja mais notcias do estado no g1 SC

Leia Mais